Continue conectado!
banner_dish

Policial

Dono de chácara e funcionário são assassinados e corpos jogados em cisterna em Pirapora

/

Crime aconteceu na manhã deste sábado e primeiras informações indicam roubo seguido de morte. Sete pessoas foram detidas, entre elas, um adolescente

EM

Bandidos invadiram um sítio em Pirapora, às margens do Rio São Francisco, no Norte de Minas, e mataram o proprietário do imóvel e um funcionário do local. Os corpos das vítimas foram jogados dentro de uma cisterna na mesma propriedade, onde foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros na manhã deste sábado. Os levantamentos da Polícia Militar (PM) indicam que o dono da propriedade foi vítima de latrocínio – roubo, seguido de morte – e o empregado dele por queima de arquivo. Sete pessoas, entre elas um adolescente, foram detidas. Com elas, foram apreendidas armas, celulares e um veículo roubado da vítima.

O aposentado Benedito Vieira de Almeida, de 72 anos, que era dono do sítio, e o lavrador Geraldo Afonso Ribeiro dos Santos, de 59, foram assassinadas na manhã de sexta-feira na região da “Chácara Maltez”, perto da área urbana, atrás de um clube campestre. De acordo com o aspirante Daniel Carvalho Miranda, coordenador do policiamento do 55º Batalhão da PM, familiares das vítimas já tinham comunicado o desaparecimento delas.

Segundo a PM, o filho de Benedito informou aos militares que detectou um arrombamento na casa dele, localizada na área urbana da cidade. Ele esperou um tempo para ver se o pai chegaria, mas como não apareceu, resolveu acionar a polícia. O homem disse, ainda, que Benedito tinha tido, há pouco tempo, uma desavença com um caseiro do sítio. Ele chegou a fazer um boletim de ocorrência relatando ameaças ao funcionário.

Os militares começaram a fazer levantamentos e conseguiram chegar a sete pessoas suspeitas do crime. Entre elas, um adolescente de 17 anos que é filho do funcionário de Benedito. Com o grupo, foram encontradas armas, um carro levado da casa da vítima e celulares. O material foi apreendido. Alguns deles já têm passagem pela polícia.

Sem defesa da vítima

De acordo com a PM, parte do grupo confessou o crime. Levantamentos indicaram que o caseiro informou ao filho que Benedito tinha armas em casa. O adolescente, então, convocou alguns comparsas para cometer o roubo. Na manhã de sexta-feira, o menor e três homens foram até a propriedade na zona rural do município e cometeram o homicídio. Benedito foi morto com sete tiros de um revólver calibre 22. Em seguida, Geraldo foi assassinado como tiro na nuca. A PM informou que o crime foi queima de arquivo. Depois do crime, os criminosos pegaram os corpos dos dois homens e jogaram em uma cisterna.

Dois dos criminosos ficaram no sítio, enquanto outros dois foram até a cidade, na casa de Benedito à procura de armas. Lá, pegaram um revólver calibre 32 e um carro da vítima, um Prisma. Em seguida, voltaram para o sítio e esconderam a arma em cima de um pé de manga. O veículo acabou vendido por um homem.

Depois da descoberta do caso, a PM conseguiu apreender o adolescente e os outros três homens que participaram o crime. O pai do menor foi preso, mas negou participação nos assassinatos. Também foram levados para a delegacia o homem que comprou o carro e o dono de uma casa onde o veículo foi encontrado na garagem.

Segundo a PM, um dos homens confessou que atirou sete vezes contra a cabeça de Benedito e que o adolescente deu outro dois tiros.

Fotos: Polícia Militar (PM) / Divulgação

Leia
Comente!

Escreva o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *