Continue conectado!

Meio Ambiente

Chuvas na bacia do São Francisco animam técnicos do setor elétrico

/

Usina de Sobradinho BA - Divulgação

CBH São Francisco

Até 1º de janeiro de 2018, a previsão do setor elétrico é que o reservatório de Três Marias, em Minas Gerais, chegue a 19% de seu volume útil; Sobradinho, na Bahia, atinja 10,6% e Itaparica, em Pernambuco, permaneça nos 10%. Os dados, considerados animadores, foram apresentados na manhã desta segunda-feira (4 de dezembro), durante reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF), e transmitida por videoconferência para os estados da Bacia do Rio São Francisco.

Atualmente, o reservatório de Sobradinho apresenta apenas 2,8% de volume útil e Três Marias 9,2%. De acordo com apresentação da equipe técnica do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden), a estimativa se deve ao fato de o período úmido na Bacia do São Francisco apresentar índices animadores para os próximos dias.

De acordo com coordenador geral de Operações e Modelagem do Cemaden, Marcelo Seluchi, outro fator que deve contribuir para os índices pluviométricos na Bacia do chamado rio da integração nacional é a formação do fenômeno La Niña, que consiste na diminuição da temperatura da superfície das águas do Oceano e gera uma série de mudanças significativas nos padrões de precipitação e temperatura na Terra.

Durante a reunião, o superintendente de Recursos Hídricos da ANA, Joaquim Gondim, anunciou a prorrogação da resolução que instituiu o Dia do Rio, através do qual suspende a captação de água no Velho Chico nas quartas-feiras. “A resolução será publicada ainda essa semana no Diário Oficial da União e deverá prorrogar o Dia do Rio até o final de abril do próximo ano”, anunciou Gondim. “Além disso, nos próximos dias também iremos publicar no Diário a resolução que estabelece o novo modelo de gestão das águas do São Francisco”, completou Gondim.

No final da reunião, o presidente da agência federal, Vicente Andreu Guillo, que encerra seu mandato à frente da ANA, apresentou um rápido balanço das ações desenvolvidas nos últimos oito anos em que esteve na presidência do órgão. “Sei que faltou muito a ser feito, mas preciso destacar que o conhecimento e o envolvimento de todos da bacia do São Francisco é grande e positivo. Administramos no momento de crise hídrica, o que propiciou a todos aprenderem um pouco mais, daí a importância na integração de todos”, resumiu Andreu. “Posso garantir que saio com o dever cumprido”, concluiu ele.

A videoconferência que analisa as condições hidrológicas na Bacia do Velho Chico atende a uma demanda apresentada pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) e ocorre todas as segundas-feiras, na sede da ANA.

Leia
Comente!

Escreva o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *