Continue conectado!
Minha Figura

Desenvolvimento

Usina de energia solar de Pirapora é destaque na imprensa internacional

/

Carl de Souza/AFP

Agência internacional de notícias da França (AFP) destaca a usina ergia solar de Pirapora como a maior da América Latina

Localizadas no Estado de Minas Gerais, duas das três fases do projeto solar fotovoltaico de Pirapora com potência total de 284 MWc já estão operando. Em um terreno do tamanho de 1.500 campos de futebol, mais de 1 milhão de painéis solares se perdem no horizonte: Pirapora, a maior usina fotovoltaica da América Latina, pretende recuperar o atraso do Brasil na indústria solar

No total, a produção da maior usina solar da América Latina com quase 400 MWp permitirá o abastecimento de 420.000 lares brasileiros por ano. O projeto se beneficia de contratos de venda de eletricidade com prazo de 20 anos, obtidos em 2014 e 2015 em leilões promovidos pela CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica).

A EDF Energies Nouvelles detém 80% das quotas do parque solar de Pirapora, e os 20% restantes pertencem à Canadian Solar Inc. (CSI), um dos líderes do setor da energia solar no mundo que está fabricando no Brasil os 1.235.070 painéis solares necessários para o parque.

A fim de aperfeiçoar o rendimento da instalação, os módulos estão instalados sobre estruturas de trackers (estrutura permitindo o rastreamento solar) em eixo horizontal. A operação completa de Pirapora está prevista para o segundo semestre de 2018.

Veja o vídeo produzido pela APF 

Investimentos 

Um financiamento que foi de 529 milhões de reais para a primeira fase, cerca de metade do investimento previsto neste ponto do projeto. Para Marcos Cardoso, responsável de energia do BNDES, investir em energia solar “é uma prioridade máxima” para que o Brasil cumpra o Acordo de Paris, no qual se comprometeu a elevar para 45% a parte renovável do total de energia produzida até 2030.

Quando o céu está nublado, a produção continua, mas diminui cerca de 30%. (Foto: Carl de Souza/AFP)

Quando o céu está nublado, a produção continua, mas diminui cerca de 30%. (Foto: Carl de Souza/AFP)

Quinze anos de atraso

Por enquanto, só 0,2% da energia do Brasil é solar, segundo os últimos dados do Ministério de Energia, de agosto. “O Brasil está apenas começando a recuperar os 15 anos de atraso que tem nessa área”, diz Rodrigo Sauaia, presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

“Estamos vivendo um ano crucial, com a entrada em operação das primeiras grandes usinas de energia solar. A capacidade instalada, que era menor que 90 MV em janeiro, deveria alcançar 1 Gigawatt até o final do ano, sem levar em conta os outros 2 GW em fase de construção”, acrescenta.

Uma expansão facilitada pela forte diminuição nos custos dos painéis solares, cujo preço praticamente baixou 10 vezes na última década. “O fato de que se trate do primeiro projeto que utiliza módulos fotovoltaicos fabricados de forma local contribui para o desenvolvimento destas tecnologias no Brasil”, enfatiza Sauaia.

Mas apesar destes avanços, restam ainda muitos esforços por fazer.

Mídia internacional destaca a usina

Leia
Comente!

Escreva o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *